RockFest 2019: festival reuniu uma legião de fãs no Allianz Parque para apreciar ao vivo o bom e velho rock ‘n roll.

rockfest

A primeira edição do RockFest em São Paulo mostrou que realmente veio pra ficar; ao menos na memória do público.

Assim que alguns nomes foram sendo confirmados como atrações da edição do Rock in Rio 2019, a Mercury Concerts anunciou seu novo projeto em São Paulo. O RockFest é a promessa da produtora de um novo festival de rock na capital paulista.

No começo surgiram algumas dúvidas, como por exemplo: “será que esse festival é realmente algo novo ou apenas um SPTrip com um nome diferente?”. Até eu, que não estive presente nesta edição anterior, me perguntei. Mas não importa o nome do evento, definitivamente o RockFest veio para deixar sua marca registrada.

RockFest: Scorpions, Whiteskane, Helloween, Europe e Armored Dawn.

A primeira edição do RockFest aconteceu no sábado, dia 21 de setembro, no Allianz Parque.

Grandes nomes do rock internacional como Scorpions, Whitesnake, Helloween e Europe se apresentaram para uma legião de fãs entusiasmados! A banda brasileira Armored Dawn foi a responsável por dar início à uma série de apresentações históricas.

Show de abertura.

armored dawn rockfestPor volta das 16h, os fãs foram se aglomerando e seguravam bandeiras em frente ao palco para prestigiar a o heavy metal nacional do Armored Dawn. Era fácil de identificar os seguidores de Eduardo Parras, pois eles estavam com o rosto pintado de tinta preta como a marca registrada do vocalista.

Com uma apresentação curta, a banda tocou o setlist baseado no seu último álbum “Barbarians in Black”, lançado em 2018. Um dos momentos marcantes dessa apresentação foi a homenagem ao vocalista André Matos, com a música “Sail Away”.

Ao final do show, ouvi muitos comentários positivos em relação a banda brasileira. E então, as coisas só melhoraram.

A turnê sul-americana do Europe.

Os suecos do Europe, não são atração do Rock in Rio mas estão em turnê sul-americana, para a nossa sorte! A banda liderada pelo carismático Joey Tempest, se apresentou em São Paulo e Curitiba promovendo o álbum “Walk The Earth”.

Apesar do show ter sido no começo da tarde, sem muitas luzes e efeitos especiais que dão aquele charme no palco, o show do Europe foi o meu favorito! Joey interagia com a galera, pedindo em português para o público cantar com ele, esbanjando energia no palco que tinha extensão até metade da pista premium.

” What a day! Cantem comigo, caralho!”, a frase espontânea do vocalista levou os fãs a se derreterem e cantaram “Carrie” em uníssono. “The Final Countdown” foi emocionante quando o céu já estava escurecendo e o estádio ficou iluminado com as luzes dos celulares.

europe rockfest

O auge do RockFest:  Helloween.

O Helloween foi a última banda a compor o line-up do RockFest.

Infelizmente, devido ao tratamento do câncer de Dave Mustaine, o Megadeth cancelou as apresentações. Então, o Helloween entrou na programação. A banda composta pelos vocalistas Michael Kiske, Andi Deris e Kai Hansen, se comprometeram a não decepcionar o público do festival e assim fizeram.

Desde 2017, o Helloween vêm promovendo o “Pumpkins United World Tour”.  Eles realizaram dois shows no Espaços das Américas com ingressos esgotados. Desta vez, muitos fãs comparecerem ao Allianz Parque para mais uma reunião das abóboras do power metal internacional.

helloween rockfest

Eu só assisti até metade do show porque a bateria do meu celular descarregou e eu corri para a sala de imprensa! Mas o pouco que vi, fiquei surpresa com a euforia da galera e principalmente pela sintonia entre os vocalistas da banda. Adorei a proposta de intercalar o vocal! Eu ainda não conhecia o trabalho do Helloween. 

Quando retornei para a pista premium meu amigos me contaram que ao final da apresentação, bolas laranjas foram para o público finalizando uma bela passagem da banda no festival. Foi o show mais frenético da noite.

O hard rock clássico do Whitesnake.

Quando David Coverdale apareceu poucos metros de distancia de mim eu fiquei em choque. O frontman do Whitesnake vestia uma camiseta com o logo da banda nas cores do Brasil. E enquanto ele cantava, eu só conseguia pensar “mano do céu eu to de repórter no show de grandes clássicos do rock internacional, que fato épico na minha vida!”.

Mandei uma foto do David para o meu pai nessa hora dizendo “olha pai, eu to muito perto do David Coverdale!”. Pela primeira vez, eu fiquei sem reação assistindo uma banda referência na história do rock n’ roll. Nunca imaginei que ficaria tão perto, nunca imaginei ser repórter da passagem dessas bandas na minha cidade.

Eu não conseguia cantar, só fiquei ali observando sem quase piscar.

Enquanto o Whitesnake embalava o público com seus clássicos “Hey You (You Make Me Rock)”, “Shut Up & Kiss Me”, “Is This Love” e “Here We Go Again”, eu me perguntava que diabos as pessoas dizem que o rock morreu? Se ele estava ali, na ponta da língua de milhares de pessoas de diversas gerações!

whitesnake rockfest

O que mais me impressionou no show do Whitesnake no RockFest foi o solo de bateria do Tommy Aldridge. Meu chefe que também estava no show me contou que ele faz o mesmo solo desde mil novecentos e bolinha mas naquela época ele era jovem, né?

Mais uma vez, Tommy reproduziu seu solo impecavelmente, levando o público ao delírio enquanto tocava bateria literalmente com as mãos. Teve um momento que eu achei que ele ia bater nos pratos com a cabeça! E o desespero pensando que esse homem ia ter um treco depois de exalar toda a sua energia em alta potência? Foi incrível, fiquei sem ar!

O headliner: Scorpions!

Esse era o show mais esperado por mim! Quando recebi a resposta da credencial aprovada eu fiquei com siricutico só de poder finalmente cantar HERE IM ROCK YOU LIKE A HURRICANE ao vivo!

Porém, o começo da apresentação dos alemães do Scorpions estava um pouco desanimada. Apesar dos efeitos nos telões que mudavam a todo o momento e jogos de luzes, o público estava um pouco mais contido do que nas apresentações anteriores.

scorpions rockfest

Mas quando Klaus Maine tirou seus óculos escuros e os guitarristas começaram a passear pelo palco extenso pela platéia, o show começou a criar mais energia. Vale lembrar que o Scorpions é uma banda formada em 1965 e nem todo mundo ainda tem a mesma energia que Micky Jagger ou Steven Tyler no palco haha!

scorpions rockfestUm dos momentos marcantes do show do Scorpions foi também o solo de bateria de Mikkey Dee. Com seu instrumento suspenso por algumas cordas que o tiraram do chão, elevando até o teto do palco, o baterista mostrou todo o seu talento durante a apresentação.

Foi muito legal quando ele foi “batendo” na bateria e as imagens das capas dos álbuns do Scorpions  surgiam no telão central, reunindo toda a discografia da banda.

Claro que como todo show clássico, a banda saiu do palco fazendo o público pedir bis. Era óbvio que a apresentação não havia terminado porque a minha música não tinha sido tocada, ainda.

O Scorpions ressurgiu e  fechou a primeira edição do RockFest com “Rock You Like A Hurricane”, pra minha alegria!

Considerações Finais.

Segundo a Mercury Concerts, o RockFest é um evento que veio pra ficar. Definitivamente, ele já deixou sua marca registrada como um dos festivais de rock mais marcantes que já se passaram por São Paulo.

Sinceramente, espero que se consolide e crie novas incríveis experiências como estas para o público rock ‘n roll!

Meu agradecimento especial à Catto Comunicação pelo credenciamento aprovado!

Crédito das imagens cedidas pelas Mercury Concerts. Fotógrafo: Ricardo Matsukawa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.