Ed Sheeran retorna ao Brasil para encerramento da turnê Divide.

O músico fez duas apresentações na capital paulista e uma em Porto Alegre. O Diário de Shows foi conferir a primeira apresentação em São Paulo.

Na última quarta-feira, dia 13 de Fevereiro no Allianz Parque em São Paulo, aconteceu o primeiro show de encerramento da turnê Divide do Ed Sheeran com participação especial do Passenger. Como a única data marcada para o músico se apresentar na capital paulista teve ingressos esgotados rapidamente, a produção abriu uma data extra. E eu, aos 45 minutos do segundo tempo,  descobri que estaria presente.

“Divide Tour”

A Divide Tour quebrou recorde mundial de público, sendo a primeira do ranking de bilheteria da indústria musical desde 2017, quando teve inicio. Desta vez, confesso que pela declaração da Move Concerts no anúncio oficial da turnê , que o retorno da Divide seria acompanhado da produção completa para performances em estádio com 16 carretas, deduzi que como o álbum teve uma produção mais elaborada, este show teria a presença da banda junto ao cantor. Errei, criei expectativa e me decepcionei.

Quando o Ed Sheeran entrou no palco pontualmente às 21h, com seu violão e logo em seguida já o soltou enquanto a música rolava, eu fiquei muito incomodada de perceber que era playback. Fiquei desanimada o show inteiro por conta disso. É compreensível que como o álbum tem uma produção mais elaborada do que o primeiro e já que ele não trouxe banda, seria necessário um playback, mas eu esperava no mínimo que violão fosse ele mesmo tocando.

Minhas amigas que estavam em setores mais afastados desconfiaram do uso do playback, mas como todo mundo conhece a fama de músico excepcional que o Ed Sheeran carrega, ninguém quis acreditar que ele faria isso, mas fez. Uma moça que estava do meu lado colada na grade da pista premium, quando notou falou para o filho ” Meu Deus é playback que frustrante!”. Pois é, pensei eu.

O único momento que eu apreciei o show foi quando ele tocou as antigas, “Give Me Love” e ” I See Fire”, onde aparentemente ele tocou e cantou ao vivo. Na pista premium eu não senti o áudio ruim, mas quem estava mais longe disse que alguns momentos era difícil entender o que ele cantava. Apesar dos pontos negativos foi um show muito encantador visualmente falando, devido ao painel de led que se movimentada em algumas músicas e a organização de imagens e cores deram um toque especial ao palco, estava sensacional.

Se eu tivesse pagado o ingresso teria ficado mais brava com a performance do Ed Sheeran. Sinto que ele perdeu sua essência musical e se tornou mais um astro da indústria fonográfica que serve de entretenimento para o público. Se você não conseguiu ingresso não fique triste, está lá te daria a mesma sensação de ouvir no Spotify ou Youtube no último volume.

Show de Abertura – Passenger 

O responsável pelo show de abertura foi o músico Passanger. Com seu jeito meio tímido e muito simpático, ele se apresentou ao público já fazendo piada sobre ele mesmo “Todo mundo acha que Passanger é uma banda mas sou só eu mesmo ok?”, “Eu tenho só uma música famosa mas vou cantar mais pro final, esperem um pouco”.

Durante a apresentação ele contou um pouco da sua história e ficou muito grato pela recepção do público. Disse que nunca imaginou tocar num estádio tão grande, uma vez que ele era músico de rua. Passanger ficou conhecido pela música “Let Her Go” há alguns anos atrás e esta foi sua primeira apresentação no Brasil. No dia 10 de Março ele retorna par um show solo no Cine Jóia, os ingressos estão à venda no site da Ingresse por R$ 160 (inteira).

A Organização

O Hospital Sancta Maggiore organizou uma ação onde você podia tirar uma foto com uma imagem do show e ganhava uma almofada pequeninha com um emoji (não peguei porque a fila estava enorme, mas queria). A cerveja oficial foi Itaipava, e na minha opinião, a marca perdeu a chance de fazer um belo copo azul em referência ao show. Não foi um copo comemorativo pra gente guardar de suvenir, mas claro que peguei o meu. A TNT também marcou presença com seus drinks. 

Dia 13 de Fevereiro não teve os ingressos esgotados, mas o estádio do Allianz Parque estava lotado. A equipe já está acostumada com shows de grande porte lá então a organização de entrada e saída não tem grandes tumultos, é bem tranquilo.

Apesar do meu desapontamento com o Ed Sheeran o show valeu a pena pelo Passanger. Em breve eu coloco o vídeo no canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.